72 – Efeitos Reprodutivos e Estrogênicos da 8-Prenilnaringenina no Lúpulo

Abstract

Observações históricas e anedóticas da atividade estrogênica do lúpulo levaram à identificação da 8-prenilnaringenina (8PN) como um dos mais potentes fitoestrogénios. Como um estrogênio, a 8PN tem o potencial de interagir com os sistemas de sinalização de estrogênio dentro do corpo, incluindo o sistema reprodutivo. Em termos de exposição normal, apenas aquelas situações nas quais há exposição em larga escala ao lúpulo “cru” (por exemplo, trabalhadores do lúpulo) são provavelmente significantes, sendo mais prováveis os distúrbios dos ciclos menstruais. Não há evidência, nem razão para suspeitar, que a exposição ao 8PN através do produto de lúpulo mais comum, ou seja, a cerveja, seja de qualquer importância para a fertilidade de ambos os sexos. Em termos da potencial exploração da atividade estrogênica do 8PN, os sintomas da menopausa parecem oferecer alguma promessa como um alvo. O tratamento com um estrogênio “natural” fraco parece ser prontamente aceitável para muitas mulheres e as incertezas sobre a eficácia podem ser mascaradas por fortes efeitos placebo, pelo menos para sintomas como hot flushes. De fato, a relativa fraqueza da atividade estrogênica do 8PN em comparação com as preparações farmacológicas de estrogênio pode ser vantajosa, pois isso também reduziria o risco de câncer dependente de hormônios. Entretanto, como os tratamentos para os sintomas da menopausa tipicamente tendem a envolver regimes de exposição contínua ou a longo prazo a mulheres saudáveis, todos os tratamentos precisam de monitoramento cuidadoso tanto em termos de segurança quanto de eficácia, até porque outras bioatividades (não estrogênicas) da 8PN e compostos derivados do lúpulo associados precisam ser consideradas.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.